Loading

Geografias Feministas e das Sexualidades: encontros e diferenças

Joseli Maria Silva
 
Marcio Jose Ornat
 
Alides Baptista Chimin Junior (Orgs.)
 
Dados técnicos da obra
 
Edição: 1 a
 
Páginas: 272
 
Formato: 16 x 23
 
Peso: 476g
 
Miolo: papel ofsete 90g, costurado
 
Capa: cartão supremo 250g, com laminação fosca
 
Ano de publicação: 2016
 
ISBN: 978-85- 62450-47-1
 
Revisão: Hein Leonard Bowles
 
Capa, projeto gráfico e diagramação: Dyego Marçal
 
Sumário
 
Prefácio — Geografias malditas, malditas geografias?: a discussão de gênero e
 
sexualidades segundo diferentes pontos de vista, no mundo
 
Miguel Ângelo Ribeiro
 
Sobre as desobediências epistemológicas e o testamento intelectual de Milton
 
Santos
 
Joseli Maria Silva
 
Marcio Jose Ornat
 
Alides Baptista Chimin Junior
 
Não excluam metade da humanidade da geografia humana
 
Janice Monk e Susan Hanson
 
Masculinidade, dualidades e alta tecnologia
 
Doreen Massey
 
Desenvolvimento rural em El Hatillo, Nicarágua: gênero, neoliberalismo e risco
 
ambiental
 
Julie Cupples
 
Mulheres, homens, posicionalidades e emoções: fazendo geografias feministas
 
da religião
 
Peter E. Hopkins
 
“Uma perfeita geezer-bird (mulher-homem)”: os lugares e olhares de
 
corporalização “feminina”
 
Kath Browne
 
“I do down-under”: naturalizando paisagens e amor através do turismo
 
matrimonial na Nova Zelândia
 
Lynda Johnston
 
O casamento e o quarto de hóspedes: explorando a política sexual de
 
austeridade na Grã-Bretanha
 
Gavin Brown
 
Refúgios etnoespecíficos na zona de contato liberal: política racial, construção
 
de espaço e as genealogias do setor de AIDS na cidade multicultural global de
 
Toronto
 
John Paul Catungal
 
A política sexual do neoliberalismo e a austeridade num país “excepcional”: a
Itália
 
Cesare Di Feliciantonio
 
Sobre os autores e organizadores
 
Prefácio
 
Geografias malditas, malditas geografias?1:
 
a discussão de gênero e sexualidades segundo diferentes pontos
 
de vista, no mundo
 
Por um mundo onde sejamos socialmente iguais,
 
humanamente diferentes e totalmente livres.
 
Rosa Luxemburgo
 
Os estudos sobre gênero e sexualidades à luz da geografia brasileira têm sua
 
gênese a partir dos anos 1990, conforme aponta Ribeiro (2002)2. Em 2003 surge em
 
Ponta Grossa, Paraná, o Grupo de Estudos Territoriais (Gete), sob a liderança da
 
geógrafa feminista Joseli Maria Silva e seus companheiros de pesquisa, dentre eles
 
Márcio Jose Ornat e Alides Baptista Chimin Junior.
 
Este grupo trouxe novas questões para a análise espacial, pautadas no gênero
 
e nas sexualidades, em contraponto às abordagens heteronormativas, e que,
 
recentemente, agregou outras facetas identitárias, como as racialidades.
 
No ano de 2016, o Gete, já consolidado e lugar de referência no Brasil e no
 
exterior, nos brinda com esta coletânea intitulada ‘Geografias Feministas e das
 
Sexualidades: Encontros e Diferenças’. São artigos de pesquisadores de diferentes
 
lugares do mundo, interessados em tratar de temáticas que fogem às normas vigentes
 
de uma sociedade excludente e preconceituosa.
 
Em pleno final da segunda década do século XXI, ainda vivemos a
 
discriminação contra mulheres, gays, bissexuais, travestis, transgêneros e transexuais.
 
A violência marca os espaços, tornando tais grupos sociais vítimas de assassinatos.
 
Não importa a escala espacial, o sofrimento diário faz parte da sua vivência: em casa,
 
no trabalho, nos locais de lazer, nas ruas e em qualquer outro espaço público.
 
Neste contexto, com esforço e coragem, a coletânea apresentada pelo Gete
 
para a sociedade e a academia traz uma importante contribuição para transformar a
 
discriminação em torno de gênero e sexualidades a partir do espaço.
 
A obra é composta de textos críticos à ordem social heteronormativa e sexista,
 
abordando identidades fluidas e plurais. Janice Monk e Susan Hanson discutem o
 
sexismo na organização e produção da ciência geográfica. Kath Browne,
 
fundamentada na teoria queer, evidencia a necessidade de superação da bipolaridade
 
de gênero baseada apenas no masculino e no feminino. Peter Hopkins traz a religião
 
como marcador de diferença social e cultural, tratando das experiências de jovens
 
muçulmanos. Doreen Massey (in memoriam) examina a forma como as dualidades
 
razão/desrazão e transcendência/imanência são estruturadoras da compreensão do
 
espaço e propõe a desconstrução desse tipo de imaginação geográfica.
 
O livro traz também uma preocupação com o debate político e promove uma
 
crítica construtiva acerca das maneiras pelas quais a perspectiva feminista pode ser
 
incorporada à Geografia. Gavin Brown faz uma avaliação sobre as mudanças de
 
atitudes sociais em relação à homossexualidade, bem como sobre a criação de novas
 
homonormas que tensionam a estrutura social vigente na Grã-Bretanha. Outro debate
 
político é o exame das racialidades na composição da genealogia da AIDS e sua
 
1 Aproprio-me de parte do título do livro organizado por Silva, Ornat e Chimin Junior, publicado em 2013
 
pela Todapalavra Editora, intitulado ‘Geografias Malditas: Corpos, Sexualidades e Espaços’.
 
2 Trata-se da obra ‘Território e Prostituição na Metrópole Carioca', que reúne artigos elaborados nos anos
 
1990, com questão central pautada na prostituição. Destacam-se alguns importantes colaboradores,
 
como Jan Carlos da Silva, Rogério Botelho de Mattos e Rafael da Silva Oliveira.
 
Sobre os autores e organizadores
 
Alides Baptista Chimin Junior (alides.territoriolivre@gmail.com)
 
Doutor em Geografia, com temática de gênero e geografia política. Professor da
 
Universidade Estadual do Centro-Oeste e membro da Rede de Estudos de Geografia,
 
Gênero e Sexualidades.
 
Cesare Di Feliciantonio (cesaredif@gmail.com)
 
Doutor em Geografia pela Universidade de Roma. Atualmente faz pós-doutorado na
 
Universidade de Dublin. Além de pesquisar sobre geografia econômica e geografia
 
urbana, também tem explorado as geografias das sexualidades, com destaque para
 
políticas neoliberais de espaços comerciais LGBT e políticas de ativismo.
 
Doreen Massey (d.b.massey@open.ac.uk)
 
Professora de geografia na Open University e uma das mais importantes geógrafas
 
radicais feministas das últimas décadas, com inúmeras obras.  Faleceu em 11 de
 
março de 2016, aos 72 anos, deixando uma inestimável contribuição à geografia
 
mundial.
 
Gavin Brown (gpb10@leicester.ac.uk)
 
Doutor em Geografia pela King’s College London. Professor de geografia humana na
 
University of Leicester, atua na área de pesquisa de geografia cultural, geografia
 
política e geografia das sexualidades e de gênero. Atualmente é editor do periódico
 
Social and Cultural Geography.
 
Janice Monk (jmonk@email.arizona.edu)
 
Professora emérita e pesquisadora da School of Geography and Development da
 
University of Arizona. Tem atuado no Southwest Institute for Research on Women e
 
desenvolve pesquisas na área de geografias feministas e gênero. Atualmente tem
 
colaborado com a Gender Commission of the International Geographical Union.
 
John Paul Catungal (catungalj@geog.utoronto.ca)
 
Doutor em Geografia pela University of Toronto. Atualmente faz pós-doutorado no
 
Institute of Gender, Race, Sexuality, and Social Justice da University of British
 
Columbia. Tem desenvolvido pesquisas que envolvem feminismos, racialidades,
 
sexualidades e críticas à produção do conhecimento.
 
Joseli Maria Silva (joseli.genero@gmail.com)
 
Doutora em Geografia, coordenadora do Grupo de Estudos Territoriais e membro da
 
Rede de Estudos de Geografia, Gênero e Sexualidades Ibero Latino-Americana
 
(REGGSILA). Docente da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), atua no
 
Programa de Pós-graduação em Geografia e é editora da Revista Latino-Americana
 
de Geografia e Gênero.
 
Julie Cupples (julie.cupples@ed.ac.uk)
 
Professora de geografia humana da University of   Edinburgh e co-editora da Global
 
Development Academy. Faz pesquisas nas áreas de gênero e sexualidades, riscos
 
ambientais e desenvolvimento da América Latina na perspectiva decolonial. Mais
 
recentemente, seu campo de interesse científico passou a incluir também a geografia
 
cultural, com o estudo de mídias.
 
Kath Browne (k.a.browne@brighton.ac.uk)
 
Professora de geografia humana na School of Environment and Technology. Sua
 
pesquisa se concentra em justiça social e desigualdades, notadamente as relações
 
entre espaço, gênero e sexualidades. Ativista LGBTQI, é uma das fundadoras do
 
Space, Sexualities and Queer Research Group, na Royal Geographical Society.
 
Lynda Johnston (lynda.johnston@waikato.ac.nz)
 
Professora de geografia humana na University of Waikato, Nova Zelândia. Tem
 
trabalhado com várias formas de exclusão espacial, com destaque para racismo,
 
homofobia e sexismo. Atualmente é presidente da Gender and Geography
 
Commission da  International Geographical Union. Foi editora do periódico Gender,
 
Place and Culture: A Journal of Feminist Geography, entre 2011 e 2016.
 
Marcio Jose Ornat (geogenero@gmail.com)
 
Doutor em Geografia, vice-coordenador do Grupo de Estudos Territoriais e membro da
 
Rede de Estudos de Geografia, Gênero e Sexualidades Ibero Latino-Americana
 
(REGGSILA). Docente da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), onde atua
 
no Programa de Pós-graduação em Geografia, e membro do conselho editorial da
 
Revista Latino-Americana de Geografia e Gênero.
 
Peter E. Hopkins (peter.hopkins@newcastle.ac.uk)
 
Professor de geografia social na School of Geography, Politics and Sociology da
 
Newcastle University. Desenvolve pesquisas sobre várias formas de discriminação e
 
desigualdade e a respeito dos desafios da diversidade. Seu foco de pesquisa tem
 
trazido a perspectiva interseccional entre gênero, espaço, religião e geração. É
 
membro da comissão editorial dos periódicos Gender, Place and Culture e Children’s
 
Geography.
 
Susan Hanson (shanson@clarku.edu)
 
Professora emérita da Clark University, foi diretora da Clark’s School of Geography nos
 
períodos 1988-1995 e 2002-2004. É geógrafa urbana com interesse em gênero e
 
economia, transporte, mobilidade, mercado laboral e sustentabilidade. Contribui com
 
os seguintes periódicos científicos:  Urban Geography, Economic Geography, Annals
 
of the Association of American Geographers e The Professional Geographer.

Veja mais fotos...

Geografias Feministas e das Sexualidades: encontros e diferenças_243