Loading

Pioneiros do futuro: 85 anos da Batavo Cooperativa Agroindustrial

Niltonci Batista Chaves (Org.)

Carmencita de Holleben Mello Ditzel

José Aparício da Silva

 

Edição: 1a 

Páginas: 180

Formato: 25,5 x 37 cm

Peso: 2 kg 

Miolo: papel cuchê 150g, costurado

Capa dura

Ano de publicação: 2010

ISBN: 978-85-62450-11-2

 

 

Apresentação

 

Os pioneiros estavam certos.

Cabe à geração atual trilhar nos seus passos.

(Revista Batavo, 1994)

 

 

Em um de seus textos mais conhecidos, o ensaísta alemão Walter Benjamin, que figura entre os grandes intelectuais do século XX, afirma que “nada do que um dia aconteceu pode ser considerado perdido para a história.” É esta a convicção que nos orientou no desafio de recuperar uma parta da rica história produzida ao longo dos 85 anos de existência da Batavo Cooperativa Agroindustrial, com sede em Carambeí, nos Campos Gerais do Paraná.

Como historiadores, sabemos que a história é construída a partir de múltiplas visões, que as fontes podem ser contraditórias e às vezes até antagônicas, que existem interesses e lógicas que atuam na produção da informação e, finalmente, que é impossível, senão ingênuo, pretender produzir uma história completa, que dê conta de tudo. O papel do historiador, então, é o de intérprete.

Esta obra contempla a trajetória histórica desta que é a primeira cooperativa agropecuária do Brasil, iniciada pelos seus pioneiros, em 1925. Para podermos realizar o trabalho, fomos à busca de informações, pesquisando fontes escritas e orais, trabalho para o qual contamos com a colaboração imprescindível dos atuais diretores da Cooperativa, que, além de disponibilizar os acervos da instituição, oferecendo-nos uma estrutura extremamente profissional de apoio, colocaram-nos em contato com diversas pessoas que participaram da história da entidade, como presidentes, diretores e funcionários.

Num período de aproximadamente seis meses, enquanto um grupo de historiadores se debruçava sobre jornais, fotos, revistas, atas e outros documentos oficiais, um outro, formado por jornalistas, cuidou de entrevistar pessoas cujas vidas se ligam à Cooperativa. E da coleta desse rico acervo de dados resultaram um livro e um documentário que, ao retomar a história quase secular dos primeiros colonos que chegaram a Carambeí, em 1911, reafirmam a certeza de que a inestimável contribuição deixada pelos pioneiros não pode ser desperdiçada e que ela permite, também, pensar na construção do futuro.

Do ponto de vista da pesquisa histórica, é importante lembrar que a abordagem da atividade empresarial como objeto de estudos teve início no século XX. Historiadores e economistas de variadas tendências discutiram essa temática ao longo dos Novecentos, a exemplo do francês Henry Pirenne. Para ele, a cada período da história econômica corresponde um grupo diferente de capitalistas, que se dividem entre aqueles que se adaptam às mudanças e inovações e os que não as aceitam.

Com relação a essa modalidade de estudos no Brasil, merece atenção o pensamento da Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), que na década de 1950 atribuiu papel fundamental ao Estado no processo de industrialização do país. Em nosso país, segundo Almir Pita Freitas,

 

(...) a história empresarial só se amplia exatamente a partir da década de 1970 e identifica as linhas seguintes: a de inserção no contexto sócio econômico, a de estudos de casos, procurando desvendar as estratégias dos empresários, questionando e relativizando visões já consagradas pela historiografia sobre origem da indústria, papel dos empresários, ações do estado; e a do empresário através dos órgãos de classe.

 

No âmbito de registros históricos a respeito de empresas, uma grande variação de tópicos se oferece, como: organização e poder político dos empresários, relações de trabalho, avanços tecnológicos, biografias de empresários e atividades econômicas.

Assim, tematicamente, este livro trata das diferentes fases da Cooperativa a partir de sua criação, com as diretorias que comandaram a entidade, aborda transformações tecnológicas na esfera da agricultura e da genética, retrata momentos festivos e de comemorações, recupera marcas que ficaram gravadas na memória de várias gerações e destaca a relação da Cooperativa com os seus associados e funcionários, bem como com a comunidade de Carambeí.  

 

Niltonci Batista Chaves (Org.)

Carmencita de Holleben Mello Ditzel

José Aparício da Silva

 

 

Sobre os autores

 

Niltonci Batista Chaves

Professor Assistente do Departamento de História da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), onde leciona a disciplina História do Brasil Republicano. Mestre em Educação pela UEPG, está concluindo seu doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação, Linha História e Historiografia, na Universidade Federal do Paraná. Integra a Mesa Editorial da Revista de História Regional e a linha de pesquisa departamental Linguagens, Cultura e Poder. É autor e organizador de várias obras relacionadas com a história de Ponta Grossa e dos Campos Gerais, entre as quais figura Do Centro Commercio e Industria ao Selo Social: Economia e Sociedade Ponta-Grossense (EdUEPG, 2006).

 

 

Carmencita de Holleben Mello Ditzel

Professora Adjunto do Departamento de História da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), em que fez mestrado em Educação, tem doutorado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. É membro do corpo editorial da Revista de História Regional e da revista Publicatio UEPG e Chefe de Núcleo da Secretaria de Estado da Educação. Autora do livro Imaginários e representações: o integralismo nos Campos Gerais ─ 1932-1955 (EdUEPG, 2007), tem textos e ensaios em várias publicações.

 

José Aparício da Silva

Licenciado em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), em que cursou o Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas. Professor Colaborador do Departamento de História da UEPG, nas disciplinas História Contemporânea II e Tópicos Temáticos em História (Espaço e Sociabilidades e Cinema-História), atua também no Colégio Sagrado Coração de Jesus, onde leciona as disciplinas História, Introdução à Informática, e Pesquisa e Projetos. Tem experiência na área de História, com ênfase em História com projetos, trabalhando principalmente com os seguintes temas: análise de conjuntura, migração rural-urbana, pesquisa social, espaço e sociabilidades, e cinema-história.

Veja mais fotos...

Pioneiros do futuro: 85 anos da Batavo Cooperativa Agroindustrial_181